Silval depõe em fevereiro em CPI

Por D.D.ANDRE 21/12/2017 - 01:27 hs

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó ouvirá o ex-governador Silval Barbosa e seu ex-chefe de gabinete, Silvio Correia em fevereiro. A data das oitavas foram definidas na manhã desta quinta-feira (20). A convocação do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), porém, foi suspensa após o vereador Adevair Cabral (PSDB) conseguir a aprovação em plenário de um requerimento anulando todos os atos anteriores do presidente Marcelo Bussiki (PSB).

O peemedebista é investigado pelos vereadores por suposta quebra de decoro ao ser gravado recebendo dinheiro de um suposto mensalinho na gestão Silval Barbosa. "Com a definição do plenário ontem, estamos vendo o que pode ser feito, quanto aos outros, vamos ver qual a legalidade do requerimento para que possam ser refeitas as convocações", disse Bussiki.

Silval Barbosa será ouvido no dia 23 de fevereiro Sílvio Correa no dia 16. Valdecir Cardoso de Almeida, deve prestar esclarecimentos no dia 7 de fevereiro.

O ex-secretário de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme), Alan Zanatta, também foi convocado para prestar depoimento sobre as denúncias de que Pinheiro tentou obstruir a justiça, após Zanatta ter gravado um áudio com o ex-chefe de gabinete Sílvio Corrêa, no qual ele fez declarações sobre o pagamento de mensalinho. O empresário será ouvido no dia 21 de fevereiro.

Para Bussiki, as declarações de todos são importantes, principalmente do prefeito. "Todos que tem pertinência com o objeto da investigação devem ser ouvidos. O prefeito diz que quer esclarecer, então não tem porque ele não ser ouvido e a Câmara tem que dar um resultado. Se o prefeito não vier e ficar perguntas sem respostas, ele pode ser indiciado, e terá um prazo de 10 dias para apresentar sua defesa e isso é importante para que os fatos sejam esclarecidos".