Connect with us

POLÍTICA

Estudo realizado pela ALMT aponta principais desafios e propostas para desenvolvimento da agricultura familiar

Publicado

em

Apesar dos índices de crescimento alavancados pelo agronegócio, Mato Grosso é um estado marcado pelas desigualdades regionais. De acordo com dados do Censo 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), das 141 cidades, 105 têm menos de 20 mil habitantes e apresentam dificuldades para crescer econômica e socialmente.

Para detalhar melhor a realidade de cada região e município, a Assembleia Legislativa realizou estudo que traz informações detalhadas sobre a aptidão econômica de cada região. O relatório faz parte das ações de um grupo de trabalho formado por diferentes entidades ligadas ao desenvolvimento econômico, liderada pela deputada Janaina Riva (MDB). A expectativa, segundo a chefe de gabinete da parlamentar, Quezia Limoeiro, é permitir a criação de políticas públicas e o melhor direcionamento de recursos para promover o desenvolvimento das regiões menos favorecidas do estado.

“A principal preocupação com o estudo é o fomento e a cadeia produtiva”, destacou Quezia. Segundo ela, os dados servirão de base para a construção de planos de ação.  “Nós temos muitas instituições envolvidas, mas não temos uma junção dos trabalhos que são desenvolvidos para cada uma. Então, esse estudo vem para se somar a esses trabalhos para que o resultado chegue até o pequeno produtor”, avaliou.

O estudo foi coordenado pelo consultor Arnoldo Campos que destacou o contraste do potencial econômico do estado com o grande desequilíbrio de desenvolvimento social e econômico entre as regiões. “A ideia é encontrar soluções para as desigualdades regionais do estado. Mato Grosso tem uma economia muito forte, mas algumas regiões não acompanharam. Tem índices de pobreza muito elevados e estagnação econômica”, explicou o consultor.

Campos avalia que o mapeamento pode diminuir o contraste e criar novas cadeias produtivas considerando o potencial de cada região. “Ao mesmo tempo em que existem regiões com pouco dinamismo, também existe o potencial de crescimento. Se houver um planejamento e ação conjunta para destinar investimento e levar tecnologia é possível melhorar o desenvolvimento e o desempenho dessa comunidade”, afirmou.

“O Estado planejou e desenvolveu o agronegócio, então ele também pode planejar e desenvolver a agricultura familiar para essas regiões”, avalia o consultor.

Uma das principais questões debatidas foi a proposta do Governo do Estado para a criação do Fundo de Apoio à Agricultura Familiar (Fundaaf). Para Vivaldo Lopes, economista consultor da Associação Mato-Grossense dos Municípios, o projeto precisa definir melhor como vai ser arrecadado o recurso para compor o fundo. “Nossa proposta é para que o fundo receba 10% da arrecadação com o Fethab. Com uma arrecadação que chega próximo aos 3 bilhões por ano, precisamos pensar em como esse dinheiro pode beneficiar o desenvolvimento dos pequenos agricultores”, defendeu.

Além do recurso do Fethab, o economista também propõe que haja investimento do Sistema S (Sebrae, Senar, Sesi e Sesc, entre outras) . Segundo ele, o orçamento anual para o sistema é de 30 bilhões ao ano e parte do recurso pode ser destinado ao Fundo para projetos de assessoramento técnico e capacitação.

Para a representante da Secretaria de Agricultura Familiar (Seaf), Karina de Lima Bezerra, o relatório traz dados importantes que servirão de base para o planejamento e desenvolvimento de ações. “Além das informações do relatório, o trabalho em conjunto com a Assembleia e demais entidades fortalece o trabalho da secretaria para que o resultado chegue na ponta, para o pequeno agricultor”, afirma.

Encaminhamento

O relatório será disponibilizado para todos os órgãos e entidades ligadas ao desenvolvimento econômico do estado.

A próxima etapa do trabalho definida pelo grupo é compilar as informações para definir ações para desafios enfrentados pela agricultura familiar, como a falta de assistência técnica para o pequeno produtor, custo da energia elétrica, dificuldade de acesso a crédito, entre outros. Além disso, o grupo pretende aprofundar a discussão sobre a criação do Fundo de Apoio à Agricultura Familiar (Fundaaf).

O próximo encontro será marcado no início do ano, no retorno do recesso parlamentar.


Secretaria de Comunicação Social

Telefone: (65) 3313-6283

E-mail: imprensa1al@gmail.com


Fonte: ALMT – MT

Continue Lendo

POLÍTICA

Mês de março terá serviços, capacitações e comemorações gratuitas promovidos pela Assembleia Social

Publicado

em

Por

Foto: Karen Malagoli

Começa o mês de março e a Superintendência de Integração, Cidadania e Cultura da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (Assembleia Social) já tem uma agenda cheia voltada para o mês da mulher, em alusão ao Dia Internacional da Mulher, celebrado no dia 8.

A programação já começa na próxima quarta-feira (6), com uma edição da Ação Assembleia Social voltada para o público feminino, no bairro Altos do São Gonçalo, em Cuiabá, com todos os serviços gratuitos. Lá será oferecida uma oficina de mesa posta (produção de materiais para decorar mesa de jantar) e atendimentos de maquiagem, esmaltação de unhas e medição de pressão arterial.

O dia 7 é voltado para as servidoras da ALMT, como forma de homenagem a todo o trabalho desenvolvido o ano todo. Haverá café da manhã, serviços de valorização da autoestima e palestras sobre temáticas como “Combate à Violência Contra a Mulher e Saúde Mental”. Essa ação é realizada em parceria com a Presidência da Casa de Leis.

A sexta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, merece festa! Será uma noite com muita música, atendimentos gratuitos (tranças de cabelo, maquiagem, design de sobrancelhas), além de orientações sobre prevenção ao câncer de mama, por meio da parceria com a Associação MTMamma. Trata-se de mais uma edição do Lambasamba Social, que dá destaque ao gênero brasileiro samba e o tão mato-grossense lambadão. Os shows serão comandados pelo grupo Raízes do Samba (com participação de Camila Oliver), pela cantora Simone Oliveira e pela banda de lambadão Ferraz.

“Nós temos ações sociais e culturais o ano todo, mas março é um dos meses que damos maior destaque, afinal de contas, é sempre importante empoderar mulheres, contribuir com políticas públicas voltadas para elas e reconhecer a importância delas para a construção da sociedade. Tem festa, mas também tem formação, serviços e muito acolhimento. E contamos com a presença de todas e nossas atividades”, convida a superintendente da Assembleia Social, Daniella Paula Oliveira.

Nos dias seguintes, a superintendência promoverá mais quatro edições da Ação Assembleia Social, com serviços e palestras, em quatro municípios diferentes. Haverá também participação em eventos parceiros e a oferta de palestras sobre direitos da mulher, sobre oratória e outras temáticas voltadas para o público feminino.

Vale também destacar duas capacitações que começarão no dia 11 de março. A primeira é uma oficina que busca oferecer uma atividade profissional para mulheres, com foco na geração de renda e na independência financeira. É a D’Jombai, uma roda de conversa, de pertencimento, de vivência coletiva afrobrasileira, que inclui o ensinamento de técnicas de tranças afro, a ser ministrada pela facilitadora Diela. A primeira turma ocorre nas tardes dos dias 11 e 12, na Associação Comunitária do CPA 1 e as inscrições estão sendo feitas pelo whatsapp (65) 99331-0362 (Idaiany Moreno).

No mesmo dia, será a aula inaugural do curso de empreendedorismo feminino Visão 360º, que busca prospectar mulheres para se libertarem de comportamentos limitantes que dificultam seu crescimento no mercado e nas próprias vidas, ou seja, propõe uma transformação interna, para refletir nas ações comerciais.

O curso de quatro meses é oferecido nas tardes de segunda-feira, na Escola do Legislativo, na ALMT. A iniciativa é das professoras Cristhieli Viegas, Consuelo Alves e Elaine Pasdiora, em parceria com a Assembleia Social e com a Escola do Legislativo. As inscrições estão abertas e podem ser feitas por este formulário: https://show.forms.app/form/65de534e4bfcc011df710873

A agenda prevista é passível de alterações e inclusões, mas respeitará outro momento importante neste mês de março, a Páscoa, de relevância religiosa e cultural para o país.

Mais informações, pelo telefone da Assembleia Social: (65) 3313-6994.

Confira a agenda completa do mês da mulher:

6/3, às 18h – Ação Assembleia Social – Especial Mês das Mulheres. Local: Bairro Altos do São Gonçalo, em Cuiabá

7/3, a partir das 9h – Dia da Mulher para as servidoras. Local: ALMT

8/3, a partir das 18h – LambaSamba Social e atendimentos gratuitos. Entrada franca. Local: Praça Jaime Figueiredo, bairro Lixeira, em Cuiabá

9/3, às 9h – Ação Assembleia Social – Especial Mês das Mulheres. Local: Jardim Nossa Senhora Aparecida, em Cuiabá

9/3, às 9h – Palestra sobre Direitos da Mulher. Local: Distrito de Bocaiuval, em Santo Antônio do Leverger

10/3, às 9h – Serviços e palestra no evento do Instituto Psicossocial Renascer do Autismo (IPRA), em Cuiabá

11/3, às 14h – Aula inaugural do curso Visão 360º. Local: Escola do Legislativo, na ALMT

11 e 12/3, às 13h – Oficina de Tranças Afro (D’Jombai). Local: Centro Comunitário do CPA 1, em Cuiabá

13/3, às 15h – Ação Assembleia Social – Especial Mês das Mulheres. Local: Nova Xavantina

14/3, às 8h – Ação Assembleia Social – Especial Mês das Mulheres. Local: Araguaiana

14/3, às 18h – Palestra de Oratória, com Dani Paula. Local: Residencial Ilza Terezinha, em Cuiabá

22/3, às 9h – Ação Assembleia Social – Especial Mês das Mulheres. Local: Novo São Joaquim


Assembleia Social

Telefone: (65) 3313-6994


Fonte: ALMT – MT

Continue Lendo
queiroz

Publicidade

Câmara de Vereadores de Porto Esperidião elege Mesa Diretora