Connect with us

POLÍCIA

Foragida por latrocínio em Cáceres é presa pela Polícia Civil em Cuiabá

Publicado

em

Uma mulher foragida da Justiça por crime de roubo seguido de morte, que vitimou o dono de um supermercado no município de Cáceres (228 km a oeste de Cuiabá) no ano de 2020, teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Civil, nesta terça-feira (02.04), em uma ação conjunta da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Delegacia Especial de Fronteira (Defron).

A suspeita de 29 anos estava com mandado de prisão decretado pela Comarca de Cáceres por latrocínio e teve a ordem judicial cumprida pelos policiais da DHPP, no bairro Jardim Itália, em Cuiabá.

O crime que vitimou o empresário Carlos Dias Campos, ocorreu no dia 24 de abril de 2020, na residência da vítima, no bairro Vila Real, em Cáceres. Segundo informações, por volta das 22 horas, a vítima foi cercada pelos criminosos, no momento em que fechava o seu estabelecimento, sendo alvejado por disparos de arma de fogo.

Após troca de informações entre os policiais da Defron e a equipe da DHPP, foi possível identificar o paradeiro da foragida, na cidade de Cuiabá. Com base no apurado, os policiais da DHPP se deslocaram até a residência no bairro Jardim Itália, onde a foragida foi localizada e teve a ordem judicial cumprida.

A presa foi conduzida à DHPP para as providências cabíveis, sendo posteriormente colocada à disposição da Justiça.

Fonte: Policia Civil MT – MT

Continue Lendo

POLÍCIA

Polícia Civil cumpre buscas para apreender celulares de investigados como mandantes da morte de advogado

Publicado

em

Por

A equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa cumpriu um mandado de busca e apreensão na residência de um casal investigado como mandante da morte ado advogado Roberto Zampieri, ocorrida em dezembro passado.

A ordem judicial foi cumprida na última sexta-feira (12.04), em um endereço do casal na cidade de Rondonópolis. Foram apreendidos celulares dos investigados, porém, os policiais da DHPP apuraram que o casal já havia trocado os aparelhos que são distintos daqueles usados por eles na época do homicídio do advogado.

Após a busca e apreensão em Rondonópolis, o casal foi encaminhado à DHPP em Cuiabá para interrogatório, contudo, utilizaram o direito constitucional de permanecer em silêncio.

Durante as oitivas, os advogados dos investigados apresentaram o aparelho celular de E.B. que era o utilizado por ela na época do homicídio. Porém, o aparelho do marido dela não está mais com o investigado.

O delegado Nilson André Farias, responsável pelas investigações, pontuou que o comportamento do casal é mais um indício de que ambos são mandantes do homicídio.

A DHPP continua com outras oitivas e conforme prova testemunhal no inquérito, a área objeto da disputa que o casal estava perdendo para o advogado Roberto Zampieri, que representava a parte adversária, está avaliada R$ 100 milhões.

A investigação apontou ainda que a família dos investigados estava em posse da fazenda há aproximadamente 20 anos, mas havia uma discussão em relação ao título de propriedade da área. Quando o casal percebeu que poderia perder a terra e acreditando, em virtude de uma proximidade da vítima com quem competia decidir a causa agrária, decidiu contratar uma pessoa para executar Roberto Zampieri.

O casal permanece em cumprimento de medidas cautelares, com monitoramento de tornozeleira eletrônica.

Fonte: Policia Civil MT – MT

Continue Lendo
WhatsApp Image 2024-03-04 at 16.36.06
queiroz

Publicidade

Câmara de Vereadores de Porto Esperidião elege Mesa Diretora